Translate into...

23 de mar de 2014

Relacionamento à longa distância. “Como você consegue?!”


Os relacionamentos à longa distância são mal compreendidos pelos que estão do lado de fora desse arranjo. Muitas dúvidas, curiosidades e desconfianças circundam a realidade dos casais unidos pelo amor, mas separados fisicamente por estados, países ou até continentes.
 Pelo que eu já vi nessa vida em termos de casais em relacionamentos à longa distância, existem várias situações peculiares, mas acredito que podemos dividir tais casais em duas categorias principais: 1) os que planejam e 2) os que não planejam morar juntos um dia.  Claro, isso depende do quanto o casal se conhece, há quanto tempo se conhecem e de suas convicções pessoais. Vou falar aqui com a experiência de alguém da primeira categoria.



 Tenho um relacionamento de cinco anos e sete meses com o meu esposo (falo esposo porque casamento não é uma certidão de papel, mas sim um relacionamento) e na maior parte desses cinco anos e sete meses, nosso relacionamento tem sido pelo Skype, aproximadamente seis horas de chamada Skype por dia. Ele é norte-americano e eu, brazuca. Nos conhecemos por rede social em junho de 2008 e em setembro de 2009, ficamos juntinhos em Búzios por três meses. Nesse período já sabíamos que nosso relacionamento era sério. Aprendemos muito um sobre o outro e planejamos juntar nossos panos. Em 2011 ficamos juntos por dez dias em Johanesburgo e visitamos a Cidade do Cabo. Já nesse ano, ele chega ao Brasil em fevereiro e nós nos casamos no civil. Nosso plano é ficarmos juntos definitivamente assim que ele conseguir o visto de permanência. Esperar é duro, devo dizer, mas cada minuto vale a pena quando se ama de verdade.

Mas é aí que tá...

 Como funciona isso de esperar? Qual é a garantia que um relacionamento vá dar certo assim que os pombinhos se mudarem para um mesmo ninho? Pela minha experiência pessoal, em um relacionamento que é vivido limitadamente à fala, existe a oportunidade de ouro de você conhecer a pessoa com mais profundidade e saber se as prioridades, conceitos, valores, planos, etc. dessa pessoa combinam com os teus. O relacionamento valer ou não valer a pena ser levado a diante, será uma análise tua.

CONSEGUIR

 Certo dia, em uma reunião de amigos, um rapaz que apareceu no grupo, e até então eu desconhecia, me perguntou: Como você consegue ficar esse tempo todo longe do seu namorado? Justificando a própria pergunta ele me disse que teve um namorado em New York mas não conseguiu manter o namoro e se separou. Minha resposta genérica e pouco convincente foi que quando o casal se ama de verdade e são os certos um para o outro então é possível conseguir. Daí, o cara me interrompeu e disse que ele e o namorado também eram o par certo, mas ele não conseguia ficar muito tempo sem o namorado ao seu lado e preferiu terminar para arranjar outro namorado mais perto, por medo de morrer de carência. Gente, ter alguém ao teu lado, contigo, dando amor e suporte não significa necessariamente dois ou zero centímetros de distância. Se vocês têm uma maneira efetiva de se comunicarem frequentemente e dividirem teus sentimentos, vocês têm um ao lado do outro. Não é a situação ideal, claro, porém largar o namorado por esse motivo mostra que você pensa de maneira egoísta, se importa só contigo, com as tuas necessidades e não ama o companheiro como deveria amar. Gosto de chamar esse amor de “perfeito amor”. Amor que se ama colocando o outro como prioridade e não fazendo a ele o que não gostaria que fosse feito a você. Aprender a cada dia amar o outro exatamente como você se ama é aperfeiçoar-se no amor.
 Com o meu esposo, eu prefiro esperar a vida inteira no Skype do que ficar sem ele. Para mim, ele é insubstituível. Não existe isso de não conseguir ficar longe. O que eu não conseguiria é desatar meu compromisso com ele. E esse sentimento é recíproco.

A CARNE GRITA

 Outro conhecido me perguntou: Como você aguenta esse tempo todo longe? Por que a carne grita, né? Expliquei para ele que não é nada agradável ficar sem o toque e o corpo da pessoa amada por muito tempo – para mim particularmente, um dia é uma eternidade – mas ninguém morre na abstinência. Além do mais, mãos e imaginação unidas criam novos mundos, não é mesmo (kkk)?
 Mas ele ainda não acreditou que eu fosse capaz de ser honesto e sexualmente fiel ao meu esposo por todo esse tempo e vice-versa. Mas isso não faz diferença para mim. Entendo que as pessoas costumam enxergar o mundo através de suas próprias lentes e se elas não são honestas, não são capazes de confiar nos outros. Acham que suas realidades correspondem às de todos. Você que se conhece e conhece teu companheiro, sabe porquê confia.

 Tentações aparecem como flechas em nossa direção, mas não há tentação que não possa ser resistida. Difícil não significa impossível. Porém, se acontecer de você trair seu parceiro, a melhor coisa é contar o ocorrido o quanto antes. Quanto mais você demora a contar, pior é. Vai fazer teu parceiro se questionar sobre o que mais você pode ter escondido que ainda não contou. Não contar não é uma opção. Lembre-se, jogar limpo contribui para um relacionamento saudável. 
 Se você for o traído, eu sei que é muito difícil opinar sobre o teu caso. Só você sabe o que está passando. Mas o perdão é a melhor opção. Talvez você tenha que perdoar teu parceiro mais de uma vez. Perdoar não significa recuperar-se de uma hora para outra, mas retira o peso do rancor dos teus ombros e a superação fica mais fácil.

 Sim, creio que não é saudável para um casal que se ama, ficar longe a vida toda. Mas se o relacionamento entre eles vale a pena, então é válido esperar até que se juntem. Se você ama verdadeiramente, qualquer medo ou insegurança é lançado pra fora. Porque no amor não há medo; pelo contrário o perfeito amor expulsa o medo.

2 comentários:

  1. Seu pensamento me ajudou a definir bem essa questão. Já tive alguns relacionamentos à distancia e que não foram a diante pelo mesmo motivo: a questão corporal. Porém, se levarmos em consideração todo o trâmite que se forma numa convivência a distancia, vale a pena sim e principalmente, quando se ama. Obrigadão pelo post!!!!

    ResponderExcluir
  2. Eu é que te agradeço pelo retorno, Fábio. Fico muito animado em saber que meu texto contribuiu para alguém, que não foi lançado no vácuo, kkk.
    Abraços e felicidades para você.

    Jon

    ResponderExcluir

Use de boa consciência nos comentário. Sem ofensas, palavrão, racismo, homofobia, discurso machista ou anti-gay. Não diga o que não gostaria que dissessem a você.

Leia também

Leia também